sábado, 18 de abril de 2015

"É PRECISO SABER VIVER..."

Por Micaele Paiva:

A solidão é um problema que, embora seja mais tendencioso para uma fase da vida, pode afetar o ser humano em qualquer fase e pode desenvolver-se para algo mais sério, como a depressão, o mal do século.

Como todas as coisas, os grandes problemas também começam devagar, sem mesmo que as pessoas se deem conta que estão caindo em um buraco profundo.

A fase mais tendenciosa para o sentimento de solidão se encontra na velhice, com a síndrome do ninho vazio, quando a casa que antes era cheia de alegria se encontra agora silenciosa e fria com a ausência dos filhos e muitas vezes do parceiro com quem se dividiu uma vida.

Porém, com a globalização surgem novas tendências, vícios e dependências. As pessoas estão mais próximas e ao mesmo tempo mais distantes. Muitas vezes a tecnologia camufla o sentimento que nos destrói por dentro, nos tornando pessoas frias e desligadas do mundo.

 Nos distraímos da realidade que está aí para ser encarada com diálogos virtuais ao invés dos reais, em atividades que nos desligam da realidade e outras coisas, mas quando nos desligamos da tecnologia sentimos o vazio enorme da solidão, por não construir vínculos reais, sentimentos sólidos e duradouros.

Outras vezes essa mesma tecnologia pode ser uma aliada para esses problemas, quando utilizada para trazer mais pra perto quem está longe ou para ser companhia em alguns momentos, só não podemos permitir que o virtual tome o lugar do real.

Estamos cansados de ouvir desde sempre que a nossa felicidade não deve depender de coisas que possam escapar das nossas mãos. As coisas na prática são muito mais complicadas que na teoria, mas precisamos mesmo trazer isso para nossas vidas, precisamos aprender a nos prender, a nos sustentar somente em coisas que não poderão jamais nos ser tiradas.

 Precisamos conviver com as pessoas, amá-las, confiar nelas, depender delas, pois o ser humano não nasceu para ser só, mas precisamos ter em mente que todas as pessoas se vão, isso pode ser hoje mesmo.

Nascemos sós e iremos partir igualmente solitários, essa é uma realidade mais fácil para uns e mais difícil para outros, temos que cultivar bons relacionamentos e manter as pessoas queridas próximas enquanto isso for possível, quando não for mais, precisamos de outras pessoas para querer bem, buscar meios de encontrar outras pessoas que também precisem construir ou reconstruir as amizades que tornam a nossa passagem por essa vida muito mais fácil.

Diante dessas reflexões, chegamos a conclusão de que o nosso objetivo aqui é um só: a felicidade. Tendo isso em mente, precisamos viver cada dia em função disso, da melhor maneira possível, estando de bem com a vida independente das decepções e acontecimentos e mantendo sempre viva a esperança de dias melhores.

Nenhum comentário: