quarta-feira, 15 de abril de 2015

A CLASSE POLÍTICA PUNINDO A CLASSE POBRE

Afinal os políticos estão mesmo preocupados com os movimentos das ruas? Claro que não! A prova disso, vemos nas atitudes da classe, enquanto o povo vai às ruas pedir reforma política, melhorias dos serviços públicos e combate a corrupção, os políticos respondem de forma contrária aos interesses da população com aprovações sobre a maior idade penal e agora a regularização dos serviços terceirizados.

Parece até que os políticos querem punir os pobres pelos protestos realizados. Dois motivos existem para se pensar desta forma: primeiro, a lei que diminui a maior idade penal para 16 anos só atinge a classe pobre, os filhos dos ricos são educados nos melhores colégios, é uma exceção um menor rico praticar um crime, afinal eles não conhecem o que é necessidade, que é o passaporte para a criminalidade.

O outro motivo que nos faz pensar em represália política é o absurdo de querer  regularizar os serviços terceirizados. O mais espantoso é a falta de resistência dos que fazem os movimentos sindicais, parece que não enxergam os prejuízos da classe trabalhadora com a possível aprovação dessa lei.

Querem escravizar os trabalhadores. A mão de obra dos que colocam a mão na massa vale muito, por isso querem negociar estes valores, facilitando a corrupção e tirando ainda mais de quem já é pobre.

Vejam só um exemplo: Uma empresa “A” que tem grande estrutura, com um quadro de funcionários de 500 empregados, todos com carteiras assinadas, ganhando salários satisfatórios e com uma boa estabilidade no emprego.

Essa empresa vai se beneficiar desta lei e vai demitir seus funcionários, em seguida irá contratar outra empresa de fundo de quintal, que não tem garantia alguma para seus funcionários fazerem o mesmo serviço com menos operários e menos dinheiro, e mais uma vez é o pobre que se “lasca”.

Nenhum comentário: