sexta-feira, 3 de outubro de 2014

HISTÓRIA DOS MÁRTIRES CUNHAÚ



A cultura religiosa de São Gonçalo do Amarante, cidade da Grande Natal, está ligada à figura dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu - dizimados por resistirem à invasão holandesa no município. 

Na manhã de 3 de outubro de 1645, mais de 80 pessoas foram levadas em jangadas pelo estuário do rio Potengi para o local destinado ao sacrifício, onde todos foram condenados pelo crime de amor à pátria.

Poucos sobreviveram à chacina. Entre os fatos mais cruéis deste acontecimento histórico está a morte do camponês Mateus Moreira. Ele teve o coração arrancado pelas costas.

Tudo começou quando os holandeses tomaram a iniciativa de invadir o nordeste brasileiro para cobrar as dívidas dos portugueses que construíram engenhos com dinheiro emprestado pela Holanda.

No município de São Gonçalo do Amarante, os holandeses encontram a resistência dos moradores dos engenhos. As vítimas do massacre de Uruaçu foram levadas de sítios e engenhos adjacentes (Utinga, Potengi e Ferreiro Torto) para o Castelo de Keulen (atual Fortaleza dos Reis Magos).

Em reconhecimento ao feito dos Mártires de Uruaçu, em 16 de junho de 1989 o processo de beatificação foi concedido pela Santa Sé. Em 21 de dezembro de 1998 o papa João II assinou o decreto reconhecendo o martírio de 30 brasileiros, sendo dois sacerdotes e 28 leigos.A celebração de beatificação aconteceu na Praça de São Pedro, no Vaticano, no dia 5 de março de 2000. A cerimônia religiosa foi presidida pelo papa João Paulo II. No Local do Massacre foi erguido o Monumento dos Mártires em memória dos Bem-Aventurados.

O espaço é aberto aos turistas e religiosos, e a cada mês de outubro recebe centenas de fiéis de todas as partes que acompanham as celebrações e festividades em homenagem aos mortos.
Fonte:G1

Nenhum comentário: