sexta-feira, 14 de outubro de 2011

A TRISTE HISTÓRIA


Na manhã de hoje ao escutar em um programa de rádio uma música de Luiz Gonzaga, meus olhos se umedeceram de lágrimas. A música é uma obra que relata a dura realidade dos nordestinos nas décadas passadas.

Eu era criança e testemunhei acontecimentos semelhantes à história que ele revela com detalhes na musica a “triste partida”, naquela época se não tivesse inverno, os nordestinos não tinham nada, a seca levava o homem do campo ao desespero, as famílias pobres tinham que migrar para terras distantes à procura da sobrevivência.

Graças ao avanço do progresso a cara do nordeste é outra, nos dias de hoje conseguimos superar os anos de seca sem ser preciso sair de nossa terra. A cada dia que passa, ficamos mais fortes.

Muitas alternativas chegaram, ao invés de milho, feijão e algodão, chegaram para nós projetos importantes que mudaram a vida do nordestino. Veio a irrigação com grandes reservatórios de água, grandes plantios, muita tecnologia nos projetos importantes como apicultura, carcinicultura, caprinocultura, extração de sal e petróleo.

Exportamos frutas, camarão, sal, ferro, castanha de caju, para vários países, tudo isso dá a nós nordestinos, grandes oportunidades que não teríamos nas terras do sul. De onde antigamente éramos escravos, já acolhemos muitos, até mesmo alguns indesejáveis.

Imagino o que canta hoje Luiz Gonzaga lá no céu, ao invés da asa branca, Samarica Parteira e a triste partida.

Ousa essa música com atenção. Se você morou no sítio e já tem 40 anos, entende todas as palavras da letra. CLICK AQUI 

Nenhum comentário: