sábado, 22 de janeiro de 2011

O PÉ DE CAJARANA LÁ DE CASA

Como eu queria saber o que pensa este pé de canjarana. Quando eu nasci ele já estava servindo sombra para toda a minha família.

Vivi minha infância brincando nas sombras dele e saboreando seus frutos. Com mais de um século de vida, ele foi testemunha de muitos acontecimentos, eu menino escalava seus galhos me aventurando nas alturas, cada galho era uma conquista para mim.

Lá eu cantava minhas músicas preferidas muitas vezes inventadas por mim mesmo, quando estava triste chorava também sentado sobre ele, a sua altura me servia também como mirante para observar o horizonte e sonhar em ser um grande herói.

levei vários tombos de cima dele, e aprendi com ele alguns limites da vida, me balançava nas galhas com um balanço de corda, meus irmãos rodavam o balanço até eu ficar tonto.

Ele me viu crescer, e como uma ave voar para distante dele, já viu passar por perto dele muitas coisas boas e ruins, por último ele deve ter sentido muitas saudades de nós, que estávamos a vários anos longe dele.

Fico pensando, será que ele sente por mim a metade do amor que eu sinto por ele? Quando ele me viu chegando será que ficou feliz como eu fiquei?

Perguntas que não temos respostas, só a mãe natureza com seus mistérios, é quem sabe de tudo.

Se eu tivesse o poder de falar com ele, a primeira pergunta seria o que eu deveria fazer para ter a saúde igual à dele e viver tanto.

Nenhum comentário: