sexta-feira, 10 de setembro de 2010

O ATRASO DO BRASIL

Casos como este que aconteceu no Amapá onde o governador do estado foi preso, desmotivam os cidadãos que trabalham duro na construção deste país, em pleno período eleitoral a corrupção está a todo vapor.

Os casos que vêm à tona são raros, os comentários dos crimes, os detalhes, as provas nos mostram que tudo é feito às claras, na maior simplicidade. Eles têm quase a certeza da impunidade.

O Brasil poderia ser um país de primeiro mundo se não existisse a corrupção, os nossos recursos são divididos, a metade os ladrões levam para o exterior, lá acumulam fortunas roubadas dos brasileiros pobres que trabalham na esperança de um mundo melhor.

Este é o lado ruim da democracia, nós somos obrigados a eleger políticos que muitas vezes assumem o cargo com o projeto de roubo já pronto. Sou consciente que não podemos generalizar, sabemos que ainda há honestidade, só que rara.

O governador do Amapá, Pedro Paulo Dias (PP), preso durante a Operação Mãos Limpas, será transferido nesta sexta-feira (10) para Brasília, juntamente com outros 17 acusados de participação em uma organização criminosa que teria desviado recursos públicos do Amapá e da União, segundo informou a Polícia Federal. De acordo com a PF, todos os 18 mandados de prisão temporária foram cumpridos

Pedro Paulo, que está preso no quartel do Exército, em Macapá, será levado para a carceragem da Superintendência da Polícia Federal, em Brasília.

Foram mobilizados 600 policiais federais para cumprir 18 mandados de prisão temporária, 87 mandados de condução coercitiva e 94 mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Segundo a PF, estão envolvidos no esquema servidores públicos, políticos e empresários.

As apurações da Polícia Federal revelaram indícios de um esquema de desvio de recursos da União que eram repassados à Secretaria de Educação do Estado do Amapá, provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) e do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

Nenhum comentário: