quarta-feira, 28 de abril de 2010

COMO O NORDESTE É VISTO POR UM PARANAENSE

Hoje eu encontrei uma matéria na internet, que me deixou chocado ao saber que existem pessoas, no nosso amado Brasil, exercendo jornalismo, que não conhecem o Nordeste, e mesmo sem conhecer publicam o que pensam sem a mínima consciência de procurar saber se as informações são verídicas. A matéria mostra a pura discriminação aos Nordestinos. O povo do nordeste não é mais, nem menos, do que as outras pessoas do Brasil, infelizmente, problemas sociais têm em todas as partes do país, nós nordestinos, somos privilegiados por sermos simples e amarmos tudo que é natural.

Leiam abaixo o que diz este pobre Alex lá do estado do Paraná e vejam o que ele pensa do Nosso Nordeste.



Autor: Alex Gutemberg (Texto publicado no jornal O Estado do
Paraná, em 11 de 02 de 2007)


"O Nordeste brasileiro é um mundo à parte. O que os portugueses Fizeram com o
povo da região, durante 4 séculos, foi criminoso. Usaram as índias. Ou melhor,
estupraram as índias aos milhões e depois as pobres negras escravas. Obviamente
não assumiram as roles, pelo contrário, deixaram as coitadas grávidas, os maridos
traídos na marra e ainda acabaram com as virgens indígenas , que não tinham a
menor idéia do que estava se passando.
O custo social disso tudo foi gigantesco. Todo brasileiro sofre até hoje. Essa
violência criminosa destruiu várias sociedades de tribos nordestinas , humilhou
ainda mais as negras e os negros e gerou uma civilização e stranha, de miseráveis,
com poucas oportunidades, que influencia uma nação que não consegue se desenvolver
por causa dessa contínua falta de assistência. Eles estão mais sujeitos a doenças,
aos problemas sociais e a violência do que o povo do Sul do Brasil. Não resistem.
Essas contínuas gerações de mamelucos e cafuzos, resultado de uma miscigenação
desenfreada - e aqui um parêntese, não existe preconceito nesta afirmação, pois
os brancos não podem nem viver perto de índios para não contaminá-los com nossas
doenças esquisitas, quanto mais ter relações consangüíneas, sofre diariamente.
Passa fome continuamente. Eles têm seus direitos sociais e civis cassados pelas
minorias brancas, pelos políticos e até mesmo por seus conterrâneos. O trabalho
escravo persiste por todos os cantos.
O que se ouve de Salvador a São Luís são avisos constantes aos turistas, ou
a quem tem a pele branca:cuidado, não saia com a máquina fotográfica. Não saia
com esse tênis, não leve dinheiro para a rua. Cuidado na praia, os ladrões estão
em todos os cantos. A liberdade não existe entre eles. Existe sim o medo crônico,
uns dos outros, às vezes de pessoas maltrapilhas e famintas, que podem ser bandidos
ou apenas mendigos.
O povo nordestino vive num mundo à parte. As cidades são imundas, o crime compensa
e a exploração por meia dúzia de coronéis em cima do retirante, do miserável é
uma constante infinita. Eles não têm noção de limpeza, de educação, de respeito
entre eles mesmos. São muito hospitaleiros. O povo de uma maneira geral, trata
bem o sulista. Entretanto, acham que o futuro da humanidade está nos Bolsas-Esmolas
do Lula, que, certamente será o novo Padim Padre Cícero da região. Um santo.
Nesse mundo diferente, longe da globalização, até os ricos e mais letrados
acreditam no Lula, no governo petista. Pior, sabe lá o que se passa na cabeça desse
povo mal alimentado, para adorar seus políticos, como Inocêncio de Oliveira,
Antônio Carlos Magalhães, José Sarney e clã, entre outros.”

Como é triste saber que existem pessoas com pensamentos tão pobres sobre os nordestinos. Venha, senhor Alex, conhecer o nosso Nordeste, tenho certeza que você vai retirar tudo que publicou e vai ficar encantado com as maravilhas que temos.

Nenhum comentário: