segunda-feira, 27 de abril de 2015

MOSSORÓ GANHA DO GOVERNO FEDERAL EQUIPAMENTOS PARA O PROJETO "CRACK É POSSÍVEL VENCER"

Do Câmera: 
O projeto “Crack é possível vencer” do Governo Federal colocado à disposição do Estado do Rio Grande do Norte e que estava engavetado já há algum tempo, está sendo testado como “Piloto” na cidade de Mossoró. O Governo Federal disponibilizou apenas os equipamentos. O custo com execução, que envolvem outras Secretarias, não só o de Segurança fica a cargo do estado e do município. 

Na semana passada o Governo do Estado entregou no 2º Batalhão em Mossoró, um ônibus equipado com o que há de mais moderno no sistema de monitoramento por câmeras, dois veículos tipo Voagem e duas motocicletas novas, que serão utilizadas como apoio. 


O projeto em fase de teste é pioneiro em Mossoró e segundo o Major Humberto Pimenta, comandante do 2º Batalhão da Policia Militar, será ampliado com a chegada de novos equipamentos.

As câmeras serão instaladas em locais considerados mais críticos, “Violentos” escolhidos de acordo com as estatísticas da central de operações já existente no Batalhão e as imagens serão enviadas em tempo real via radio para o controle dentro do ônibus que ficará parado em um local seguro previamente escolhido pelos seus comandantes.

Se a central de controle, dentro ônibus, considerar qualquer movimento e ou pessoa em atitude suspeita, enviará as informações com detalhes para as viaturas da área, ou a mais próxima, para fazer a abordagem. 

QUESTÃO DE PROVA EM COLÉGIO REVOLTA PAIS DE ALUNOS.


A tirinha acima caiu na prova de Português dos alunos do quarto ano a do ensino fundamental do colégio Santo Agostinho, na Barra. Alguns alunos deram como resposta frases como “ o casamento é uma coisa horrorosa”. Mas a maioria deles, todos entre 9 e 10 anos, não entendeu a questão.

A crítica da tirinha à instituição do casamento causou indignação nos pais dos alunos da escola que é católica e uma das mais tradicionais da cidade.

Eles foram reclamar a direção do colégio, e alegam que não houve retratação prometida. "Nos falaram que uma professora ia conversar com as crianças para tentar concertar o estrago” diz uma das mães. “Mas nada aconteceu.”

O outro lado:

O Santo Agostinho assume que a escolha da tirinha foi uma "má ideia". "Erramos. A professora selecionou o conteúdo da prova,o trecho passou pela coordenação, mas não atentamos para esse detalhe”, reconhece a coordenadora Maria Braga.

Segundo ela, o colégio já entrou em contato com todos os pais que tiveram queixas. Sobre  uma possível retratação, Maria nega a necessidade de retornar o assunto com os alunos. “Dar mais explicação para quem, se só os adultos se incomodaram? Nenhuma criança veio reclamar conosco”.


Do globo 

PROJETO DE TERCEIRIZAÇÃO DEVE CHEGAR HOJE AO SENADO


O Projeto de Lei 4.330/2004, que regulamenta a terceirização de trabalhadores, deve chegar ao Senado nesta segunda-feira (27). Depois de ter recebido mais de 200 emendas, o texto foi aprovado na noite de quarta-feira (22) na Câmara, onde está sendo concluída a redação final.

 Polêmica, a proposta deve receber alterações. O presidente do Senado, Renan Calheiros, e os líderes das duas maiores bancadas, Eunício de Oliveira (PMDB-CE) e Humberto Costa (PT-PE), já disseram que não concordam com alguns pontos. Além disso, outros senadores já foram à tribuna criticar o projeto.

Renan decidiu convocar uma sessão temática em Plenário para debater a proposição com os senadores e chegou a dizer que a terceirização não poderia ser “ampla, geral e irrestrita” e não permitiria um drible contra o trabalhador.

— Vamos fazer uma discussão criteriosa no Senado. O que não vamos permitir é pedalada contra o trabalhador. O projeto tramitou 12 anos na Câmara. No Senado, terá uma tramitação normal — disse.

terça-feira, 21 de abril de 2015

PM RIBAMAR MORREU VÍTIMA DE DISPARO DE ARMA DE FOGO


Ribamar foi alvejado quando trabalhava como segurança de uma festa no Bar Parada certa, no bairro alto de São Manoel, em Mossoró/RN, no dia 7 de Dezembro de 2014.

No dia do incidente, Ribamar foi socorrido e levado para o hospital e seu estado não aparentava gravidade. Só que, segundo informações, a bala que atingiu o PM estava “batizada” com veneno, o que causou uma infecção complicando o estado de saúde do policial que nesta terça, 21, veio a óbito no hospital da PM em Natal. Ribamar era cabo aposentado da policia militar do Rio Grande do Norte.

MORADORES DE MOSSORÓ BLOQUEARAM POR DUAS HORAS A BR 304


Um ditado que sempre ouvimos, hoje se configurou em Mossoró, é que cada cidade tem o que o povo merece. De fato Mossoró tem o que o povo merece.

Desde a semana passada que a impressa divulga um protesto marcado para a manhã de hoje (21), por conta da infinita obra de construção do viaduto que nunca termina e quase ninguém chegou na hora marcada, a movimentação foi tímida comparando a importância do protesto para toda a cidade de Mossoró.

Ate parece que o povo só gosta de protesto sem finalidades. Mesmo assim o movimento aconteceu, e o recado foi dado com a demonstração de indignação dos que estavam presentes.

O problema desta obra já é conhecido por toda Mossoró, afinal já são mais de 5 anos que o povo sofre as consequências dos transtornos da obra sem fim.



O protesto só foi possível por conta da iniciativa de Marcos Antonio da Silva “Marcos Locutor”, que foi buscar apoio junto a entidades depois de ter acontecido um acidente com duas vítimas no local.

Entre os manifestantes estavam presentes o vereador Genivan vale (pros), o vice prefeito Luiz Carlos de Mendonça (PT), o radialista José Mendes, e vários lideres comunitários como também a polícia rodoviária federal e a policia militar.


Vejam imagens do protesto.   
A rádio AM Difusora de Mossoró transmitiu todo o movimento     
     O vice prefeito Luiz Carlos disse que vai cobrar da senadora Fátima bezerra agilidade
  
 Genivan Vale, diferente dos outros vereadores veio demonstrar seu apoio  
   Jose Mendes se diz revoltado com a falta de interesse da classe política de Mossoró  

  Parentes de vítimas de acidente de transito no local expressaram sua revolta mostrando cartazes com fotos

  

domingo, 19 de abril de 2015

CARONA EM MOSSORÓ É MUITO DIFÍCIL


Em uma cidade violenta como Mossoró não tem como se esperar generosidade por parte dos motoristas na hora de pedir uma carona. Na manhã deste domingo (18) o blog flagrou um casal de jovens tentando pegar carona na BR 304.

Expostos ao sol forte da terra do sal, este casal de jovens com sotaque mineiro demorou mais de uma hora tentando e não conseguiram pegar uma carona até a cidade de Aracati/CE, que segundo eles era esse o seu destino.

PROTESTO DE CAMINHONEIROS EM MOSSORÓ


Muito barulho com um buzinaço feito por caminhoneiros em Mossoró. Na tarde de sábado, dia 17, vários caminhões se reuniram para um protesto cobrando que criem uma tabela de preços mínimos para os fretes no Brasil.

Os caminhoneiros fizeram uma carreata de caminhões no complexo viário Abolição em um percurso de 17 quilômetros ocupando uma das faixas da via, a polícia Rodoviária acompanhou de perto a movimentação dos motoristas.

sábado, 18 de abril de 2015

"É PRECISO SABER VIVER..."

Por Micaele Paiva:

A solidão é um problema que, embora seja mais tendencioso para uma fase da vida, pode afetar o ser humano em qualquer fase e pode desenvolver-se para algo mais sério, como a depressão, o mal do século.

Como todas as coisas, os grandes problemas também começam devagar, sem mesmo que as pessoas se deem conta que estão caindo em um buraco profundo.

A fase mais tendenciosa para o sentimento de solidão se encontra na velhice, com a síndrome do ninho vazio, quando a casa que antes era cheia de alegria se encontra agora silenciosa e fria com a ausência dos filhos e muitas vezes do parceiro com quem se dividiu uma vida.

Porém, com a globalização surgem novas tendências, vícios e dependências. As pessoas estão mais próximas e ao mesmo tempo mais distantes. Muitas vezes a tecnologia camufla o sentimento que nos destrói por dentro, nos tornando pessoas frias e desligadas do mundo.

 Nos distraímos da realidade que está aí para ser encarada com diálogos virtuais ao invés dos reais, em atividades que nos desligam da realidade e outras coisas, mas quando nos desligamos da tecnologia sentimos o vazio enorme da solidão, por não construir vínculos reais, sentimentos sólidos e duradouros.

Outras vezes essa mesma tecnologia pode ser uma aliada para esses problemas, quando utilizada para trazer mais pra perto quem está longe ou para ser companhia em alguns momentos, só não podemos permitir que o virtual tome o lugar do real.

Estamos cansados de ouvir desde sempre que a nossa felicidade não deve depender de coisas que possam escapar das nossas mãos. As coisas na prática são muito mais complicadas que na teoria, mas precisamos mesmo trazer isso para nossas vidas, precisamos aprender a nos prender, a nos sustentar somente em coisas que não poderão jamais nos ser tiradas.

 Precisamos conviver com as pessoas, amá-las, confiar nelas, depender delas, pois o ser humano não nasceu para ser só, mas precisamos ter em mente que todas as pessoas se vão, isso pode ser hoje mesmo.

Nascemos sós e iremos partir igualmente solitários, essa é uma realidade mais fácil para uns e mais difícil para outros, temos que cultivar bons relacionamentos e manter as pessoas queridas próximas enquanto isso for possível, quando não for mais, precisamos de outras pessoas para querer bem, buscar meios de encontrar outras pessoas que também precisem construir ou reconstruir as amizades que tornam a nossa passagem por essa vida muito mais fácil.

Diante dessas reflexões, chegamos a conclusão de que o nosso objetivo aqui é um só: a felicidade. Tendo isso em mente, precisamos viver cada dia em função disso, da melhor maneira possível, estando de bem com a vida independente das decepções e acontecimentos e mantendo sempre viva a esperança de dias melhores.

PRISÕES DA OPERAÇÃO SALT DECORRERAM DE PEDIDO DO MPF EM MOSSORÓ



Investigações levaram à denúncia contra 20 pessoas ligadas ao “Grupo Líder”. Prejuízo aos cofres públicos pode chegar a mais de R$ 500 milhões

Os mandados de prisão cumpridos nesta sexta-feira (17) pela Polícia Federal em Mossoró, dentro da terceira etapa da chamada Operação Salt, resultaram de ações ajuizadas pelo Ministério Público Federal (MPF), que apresentou quatro denúncias por lavagem de dinheiro, uma denúncia por organização criminosa, uma denúncia por falsidade ideológica e um pedido de prisão preventiva, envolvendo um total de 20 pessoas.

O grupo é acusado de integrar uma organização criminosa que, desde 1990, especializou-se em praticar os crimes de sonegação fiscal, apropriação indébita previdenciária, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

Por meio de um grande emaranhado de empresas, muitas delas de “fachada”, o chamado Grupo Líder conseguiu sonegar mais de R$ 500 milhões.

As ilegalidades já haviam levado a Polícia Federal a deflagrar outras duas operações, sendo uma delas em dezembro de 2013 (Operação Salt I) e a segunda em 26 de março deste ano (Operação Salt II).


“Muito embora algumas das empresas do grupo  ostentem patrimônio e receita para saldar suas obrigações tributárias, a organização se utiliza do artifício de criar empresas que só existem no papel, inclusive constituídas a partir da utilização de 'laranja', para garantir o livre ingresso de receitas nos caixas do grupo, assim como o branqueamento de bens, mediante complexo esquema de blindagem patrimonial contra as ações da Receita Federal do Brasil”, destacam as ações, de autoria dos procuradores da República Aécio Tarouco e Emanuel Ferreira.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

PESQUISA SÓ CONFIRMOU O QUE O POVO SABE

A divulgação da pesquisa da Consult tem servido para muitos comentários entre os que acompanham o movimento político de Mossoró. O fato é que os números apresentados não surpreenderam muita gente. Quem acompanha de perto os acontecimentos não têm dificuldade alguma de dar os créditos a pesquisa.

Já disse inúmeras vezes e continuo dizendo que Francisco Jose foi eleito pela situação política que se encontrava Mossoró e, até aqui, o prefeito ainda não conseguiu um feito que o fortalecesse politicamente, uma gestão de muito barulho e poucos resultados.

Quanto aos números que indicam preferência dos mossoroenses, estes são muito relativos considerando a oferta de nomes. Uma coisa é certa: particularmente não acredito que Mossoró queira voltar para o labirinto que saiu.